Sustentabilidade

A Chácara Marujo está se empenhando na busca de tecnologias que darão sustentabilidade a atividade agropecuária.
As lavouras de milho grão são colhidas com umidades acima de 32% e ensiladas como “grão úmido”, destinadas para alimentação do plantel de suínos.
Processo de Moagem

O processo de moagem que procede a ensilagem do grão gera um custo mais baixo que o processo de secagem e armazenagem tradicional.

A colheita precoce colabora para uma melhor qualidade de grão (redução da porcentagem de ardidos).

Biodigestores

O efluente gerado pela suinocultura passa por biodigestores, gerando biogás que é utilizado para diversas finalidades: aquecimento do piso na maternidade e creches através de aquecedores de água e um sistema de serpentinas de água.  O biogás também é usado para a secagem de grãos, geração de energia elétrica e produção de biometano (Biogás purificado), que movimenta um dos nossos tratores e algumas empilhadeiras e camionetes.

 

O grão umido fermentado e acidificado consiste numa alimentação saudável para o plantel de suinos, contribuindo para a diminuição de incidência de enfermidades gastrointestinais.

Meio Ambiente e Sustentabilidade

O biodigestor principal foi construído em parceria com a empresa MT Energie da Alemanha.  É um biodigestor de alta eficiência que permite trabalhar com os mais diversos produtos sólidos e líquidos. Temos ainda um valioso biofertilizante para adubar as lavouras que voltam a produzir milho, azevém ou trigo.

 

Biofertilizante

O efluente do  biodigestor é aplicado na lavoura atravês de um “Injetor de biofertilizante líquido”.

O uso de um injetor tem por objetivo minimizar perdas de nutrientes por volatilização (N) e também colabora para criar uma camada fértil mais espessa.

Biofertilizante bem homogeneizado, bem aplicado e bem distribuído permite redução ou mesmo a substituição total do fertilizante químico.

 

Área de azevém e aplicação do biofertilizante, a diferença entre um cultivo de azevém com efluente injetado e sem efluente

O sistema do plantio direto tem a tendência natural de acumular nutrientes na superfície do solo.

Aplicações superficiais do biofertilizante agravam ainda mais a acumulação de nutrientes na superfície.

Injetando a 15cm de profundidade, conseguimos equilibrar melhor a distribuição dos nutrientes no solo.

                 Vídeo de aplicação do biofertilizante:                                     Vídeo de trator movido a biometano:

© 2001-2018